sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

EUA querem barrar Irã e China na América Latina

Os EUA querem melhorar as relações tom vários países da América Latina pa¬ra tentar barrar a crescente influência do Irã, da China e da Rússia na região, disse ontem a secretária de Estado Híllary Clínton.
Em reunião com a cúpula diplomática americana, Hillary chamou de "muito perturbadoras" as relações que os três países, um inimigo e dois potenciais rivais dos EUA, mantêm com Venezuela, Nicarágua, Bolívia e Equador. (...)
Segundo ela, a culpa pelo aumento da atuação de Teerã, Pequim e Moscou na América Latina é de George W. Bush (2001-2008).
Hillary afirmou que a política de Bush foi contra produtiva e permitiu que os líderes de esquerda - corno o venezuelano Hugo Chávez, o boliviano Evo Morales e o nicaraguense Daniel Ortega- promovessem o sentimento anti-EUA e abrissem as portas para Irã, China e Rússia. (...)
Nos últimos anos, os três países vêm aumentando investimentos na América Latina, onde buscam reforçar sua presença com a abertura de novas embaixadas na região - o Irã está construindo uma mega-representação na Nicarágua.
Hillary insistiu em que a tática de Bush de isolar alguns governos latino-ame¬ricanos e transformá-los em "inimigos internacionais" não funcionou.(...)
Desde que assumiu o poder, em ja¬neiro, o governo de Barack Obama vem revertendo a retórica hostil de Bush em relação a vários países, incluindo a América Latina.
Folha de S.Paulo, 2/5/2009
Fonte Atualidade vestibular – editora Abril

Nenhum comentário:

Postar um comentário